Home » Noticia » Quem compartilhou as imagens da menina no MAM pode responder na Justiça

Quem compartilhou as imagens da menina no MAM pode responder na Justiça

Verdade – Quem compartilhou as imagens da menina que tocou os pés do coreógrafo Wagner Swhartz que estava nu na performance”La Bête”, exibida no Museu da Arte Moderna – MAM, pode responder a inquérito na justiça e ser processado.

Durante as explicações dadas, nesta segunda-feira (02/10/2017, sobre o andamento do inquérito instaurado para apurar responsabilidades sobre a interação de uma menina, que aparenta ter entre 5 e 7 anos, com um homem nu na performance “La Bête”, o promotor de justiça Eduardo Dias, afirmou que caso os resultados da investigação apontem para algum crime, quem compartilhou as imagens nas redes sociais, sem ocultar o rosto da criança, poderá ser processado pela justiça.

Publicidade:

  • “Quem estava na instalação poderia estar preparado para as cenas chocantes, mas quem assistiu aos vídeos postados na internet não estava. As pessoas que veicularam as imagens, sem borrar o rosto da criança, podem ter que responder na Justiça, se o ato for caracterizado como um crime, como pedofilia. Pode ser visto como divulgação” – Disse o promotor a imprensa.

O promotor da Promotoria de Justiça da Infância e da Juventude (Setor de Defesa dos Interesses Difusos e Coletivos), ainda acrescentou: “O que nós queremos é que o ECA seja cumprido.”

Vale salientar que os sites e redes sociais como Facebook e Youtube, por exemplo, foram notificados para removerem fotos e videos, assim como links de sites e blogs, que contenham a exibição do rosto da criança que interagiu com o performer.

De fato, na ânsia de compartilharem o seu desagravo e revolta com a situação ocorrida no MAM, muitas pessoas acabaram, mesmo que sem dar conta, expondo mais ainda a criança a uma situação que eles próprios consideraram vexatória, absurda e com viés de pedofila.

A simples exposição e perpetuação do rosto da criança, através do compartilhamento de imagens, nas redes sociais pode vir a gerar diversos tipos de transtornos futuros com a estigmatização que ela fica sujeita.

Por mais que as pessoas tenham ficado indignadas com o ato, é preciso. em primeiro lugar, resguardar a identidade da criança inocente.

Ainda de acordo com o promotor, as investigações seguirão duas frentes.

1 – O MP irá investigar a política do MAM em relação a censura e como eles lidaram com o aviso de nudez. De acordo com o MAM, havia uma placa alertando que a performance teria nudez.

2 – O MP quer saber como é a política do museu para registro das obras, já que as imagens contendo a nudez e a interação com a menina viralizaram na internet e foram amplamente registradas pelos presentes.

Em uma, vai se buscar entender como o museu tratou a questão da classificação indicativa da performance – o MAM afirma que havia uma sinalização avisando que a performance teria nudez. Em outra, o Ministério Público vai procurar entender a política do museu para o registro das obras, já que vídeos e fotos da menina interagindo com o performer Wagner Schwartz viralizaram na internet.

Sobre a acusação de pedofilia, o promotor Eduardo Dias disse que não cabe a Promotoria de Justiça da Infância e da Juventude (Setor de Defesa dos Interesses Difusos e Coletivos) a apuração dos fatos criminais.

Assim sendo, nem a mãe da criança e nem o coreografo estão sendo investigado por essa promotoria. A apuração cabe a promotoria criminal.

Resta saber se haverá ou não investigação da Promotoria Criminal. De acordo com o TJ, “não há em andamento nenhum processo na área criminal sobre o caso”. “Existe apenas procedimento de apuração de infração administrativa às normas de proteção à criança ou adolescente.

 

Comentários Facebook

comments

About Descharth

Avatar for Descharth
André L. Scharth, também conhecido como Descharth, ou Des, é Laboratorista Fotográfico, uma profissão em extinção devido a tecnologia fotográfica atual. Por isso, para poder continuar tomando cervejas virou blogueiro, mas ainda pede fiado no bar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *